Existem diversos formatos de imagens digitais, que influenciam na qualidade da fotografia. Cada extensão afeta a foto de uma forma e tem suas vantagens e desvantagens na edição.
O formato mais conhecido é o JPEG, que é o padrão na maioria das câmeras e celulares. Mas um outro formato que ajuda bastante nas edições é o arquivo RAW.

raw e jpeg
(Fototekne)

A diferença entre o formato RAW e o formato JPG, é que o formato RAW grava tudo que a câmera viu, enquanto o JPEG antes de gravar no cartão de memória, a câmera interpreta as informações e comprime tudo em um arquivo menor, perdendo muita informação.

Logo, o arquivo RAW nos dá a liberdade de processarmos e interpretarmos a imagem como queremos, enquanto o arquivo JPEG já sai processado e interpretado pela câmera.

JPEG: Arquivo Compactado

Prós:

  • Os arquivos são leves ocupando pouco espaço;
  • É um arquivo universal podendo já ser usado, a qualquer hora, podendo abrir em qualquer lugar, TV, celular, internet, computador, etc… Não precisa de um programa específico para abrir;
  • Não precisa de edição, é uma imagem já processada pela própria câmera;
  • Ocupa pouca memória de Bufer, conseguindo maior velocidade de frames.

Contras:

  • Não possui as informações reais da imagem;
  • Sem controle de Branco, para consertar é muito difícil;
  • Menor range dinâmico, se não foi exposta corretamente, para recuperar as zonas claras e escuras é bem mais difíci;
  • Já vem editado, ou seja, não conseguimos editar da forma que queremos;

RAW: Arquivo “Cru”

Prós:

  • Tem o máximo de informações, conseguindo capturar informações puras e reais.
  • Controle do Balanço de branco, se errarmos o balanço de branco, não tem problema, pois temos o controle no pós processamento.
  • Maior Range Dinâmico, consegue recuperar bem mais fácil algumas zonas no pós processamento, pelo fato de ter o máximo de informações.
  • Controle absoluto do fotógrafo na edição, conseguimos colocar o quanto queremos de cada efeito.
  • A princípio parece ser uma imagem feia, sem cor, mas depois de tratadas, conseguimos sem dúvidas, uma qualidade muito melhor e com cores mais definidas que o JPEG.

Contras:

  • Sempre precisa de pós processamento, pois ela vem crua, não podendo ser usado de imediato;
  • Arquivos pesados ocupando muito espaço;
  • Não é um arquivo universal, precisa ter um programa especial para abrir o arquivo;
  • Usar a opção burst que é varias fotos ao mesmo tempo, já não é muito possível porque ocupa muito espaço, e os frames ficam mais lerdos.

Quando fotografar em JPEG?

  • Quando se tem um número excessivo de imagens para editar, o JPEG como já vem praticamente pronto, é mais fácil, precisando apenas de algumas edições.
  • Fotos de esportes, jornalistas, que necessita arquivos leves, para mandar para o jornal, ou outro lugar que precisar mandar com rapidez.
  • Para quem fotografa em Burst e quer pegar todo o movimento, o número de FRAMES é maior em JPEG, por ser arquivos mais leves, como esportes, corridas, pássaros, etc…
  • Fotografia de amigos e família, podemos passar os arquivos na hora, sem precisar levar para a casa e tratar.

Quando fotografar em RAW?

  • SEMPRE que possível fotografe em RAW, é sempre bom ter o máximo de informações possíveis.
  • O interessante é tirar com a opção RAW + JPEG, porque a câmera salva os dois arquivos simultaneamente, e você poderá usar o JPEG quando não puder processar o RAW ou enquanto ainda não souber processar em Raw.

Exemplo-da-perda-de-qualidade-quando-reeditamos-o-JPEG-algumas-vezes
(Exemplo da perda de qualidade quando foi reeditado o JPEG algumas vezes – Fotografia DG)

 

Para ficar mais claro, veja os vídeos a baixo:

 

Para RAW cada fabricante adotou uma “extensão proprietária” para seus arquivos, como:

  • Canon: CR2 e CRW;
  • Sony: SFR e ARW;
  • Nikon: NEF;
  • Olympus: ORF;
  • Fuji Film: RAF;
  • Minolta: MRW;
  • Pentax: PEF;
  • Adobe: DNG.

Vale lembrar que nem todas as câmeras digitais fotografam em raw. Somente câmeras semi-profissionais e profissionais (com recursos como zoom, controle manual e troca de lentes).
A fotografia em raw é mais voltada para quem é preocupado com a qualidade final da imagem. Para fotógrafos práticos, ou iniciantes, que não têm intenção de trabalhar com alteração ou melhoria de imagens, o JPEG continua sendo a principal opção.

Fonte: Fotografia-DG / Sangue Suor e Foto / Dicas de Fotografia / Tech Tudo / Fototekne / Beginners Fotografia

Tags: , , , , , ,